Um singelo espaço de reflexão pessoal. Lugar de afectos, espiritualidade e outras coisas da vida.

04
Jul 02

 

 

 

 

Celebra-se no dia 4 de Julho, a festa em honra da Rainha Santa.

É edificante e bela a vida de Santa Isabel, Infanta de Aragão e Rainha de Portugal.

Nasceu em Saragoça, no ano do Senhor de 1271, filha de D. Constança e D. Pedro, Infante herdeiro do Rei de Aragão.

Quando chegou à idade de doze anos, não lhe faltavam pretendentes de diversas Cortes da Europa pedindo-lhe a mão, tão conhecida era já pelos seus dotes e esmerada educação cristã.

Ela, porém, devotíssima como era de S. Francisco de Assis, teria desejado ingressar e viver para sempre entre os pobres e humildes filhos de Santa Clara.

Mas na vontade dos pais, Isabel, vê a vontade de Deus.

Consente casar-se com D. Dinis de Portugal, jovem Rei que tinha apenas 20 anos de idade.

Mas impunha uma condição: que terminasse a guerra que D. Dinis fazia contra a mãe e contra o irmão.

O Rei acede a este desejo da Infanta, faz as pazes e acabam-se, por algum tempo, as lutas, gozando Portugal de grande paz e tranquilidade.

É de realçar o seu carisma de pacificadora, a sua tolerância ilimitada, a sua entrega a Deus, pela meditação e oração fervorosa. Jejuava com frequência e oferecia os seus sacrifícios pela conversão do marido e dos pecadores. A prática de obras de caridade completava a sua vida plena de santidade.

D. Dinis, gravemente doente, nomeia então a Santa Rainha como sua testamenteira, pois, explicitou: “estou certo de que fará por mim e pela minha alma tudo o que puder e deve fazer”.

No dia 7 de Janeiro de 1325, aos sessenta e quatro anos de idade, o Rei morre em Santarém, depois de beijar o crucifixo que lhe oferecera a esposa, D. Isabel.

Após a morte de D. Dinis, D. Isabel, ingressou na Ordem Terceira de Penitência de S. Francisco de Assis, e vestindo o hábito de Clarissa, refugiou-se nos aposentos que possuía junto do Convento de Santa Clara em Coimbra.

No dia 4 de Julho de 1336 cerrou os olhos suavemente, como num doce sonho, para acordar na glória do céu.

A sua morte foi muito sentida em todo o Reino de Portugal.

Foram inúmeros os casos milagrosos que aconteceram nas suas exéquias, bem como ao longo da sua vida.

A Rainha Santa Isabel foi canonizada pelo Papa Urbano VIII, no dia 25 de Maio de 1625.

Santa Isabel, com a sua extraordinária formosura, vivendo no meio do fausto da corte e das tentações mundanas, ensina-nos que é possível atravessar vitoriosamente o mundo e caminhar para os céus, nossa pátria definitiva, vivendo uma vida de virtude.

 

publicado por aosabordapena às 14:40

Julho 2002
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
as minhas fotos
As minhas visitas
counter customizable Exibir My Stats
mais sobre mim
pesquisar