Um singelo espaço de reflexão pessoal. Lugar de afectos, espiritualidade e outras coisas da vida.

26
Out 12

 

 

É tempo de outono

Tempo de simbolismo,

Nostalgia e solidão,

De folhas amarelecidas

Atapetando o chão.

É outono

De verde amarelo tecido.

É outono.

O da vida

É tempo de obscuridade

E ansiedade,

De longos silêncios

De temores

E dúvidas galopantes.

Resta a saudade

E o passo... sempre apressado

Rumo à Outra Cidade

 

 

publicado por aosabordapena às 13:27

20
Out 12

 

 

 

Chama-nos, Senhor,

Para trabalhar na Tua vinha.

Faz-nos deixar “o barco e a rede

E o pai Zebedeu”.

Faz-nos percorrer os caminhos da vida

Proclamando que o “Reino do Céu está perto”,

Sem exigir nada em troca,

Pois quem “recebe de graça

Dá de graça”.

Que o “ouro, a prata e o cobre”

Não nos tolde a visão

E endureça o coração.

Contrata-nos, Senhor.

“Não nos deixes ficar

Todo o dia sem trabalhar”,

Mas manda-nos “anunciar a Boa Nova

De aldeia em aldeia”.

Inclui-nos, Senhor,

Numa nova “Missão dos 72”

E envia-nos a dizer

Que Cristo, Pessoa viva

Mata a sede do coração.

Dá-nos coragem para enfrentar

Os “lobos” do mundo

Que espreitam no fim da vereda,

E, quando extenuados, faz-nos descansar

Em qualquer Sicar

Junto ao poço de Jacob,

E beber da “água viva”

Para “nunca mais ter sede.”

Dá-nos o entusiasmo da Samaritana

Para anunciarmos

Que “a beleza de Cristo

É um choque, uma colisão

Que captura o coração.

(Mt 4, 10, 20; Lc 9; Jo 4)

 

 

publicado por aosabordapena às 10:22

11
Out 12

 




Senhor, que nos chamaste
E pelo Batismo
Nos tornaste “filhos da Luz” (Ef.5,8)
Incendeia, neste Ano da Fé,
O coração dos homens atribulados
Que, esmagados
Pelas dúvidas e incertezas,
Vão, penosamente, percorrendo
Os caminhos da vida.
Há também Senhor
Homens perdidos
Na escuridão da Fé,
Que não Vos aceitam 
Como “referência existencial,
Problema ou inquietação”,
Refugiando-se na apatia
Ou “religiões de substituição”.
A uns e a outros ilumina
Com o dom da Fé,
“Garantia das coisas que se esperam
E certeza das que se não veem” (Heb 11, 1).
Pela fé, “dom gratuito de Deus”
Vemos a Tua mão criadora, Senhor.
Pela fé, ousamos experimentar o mistério
Do Teu infinito amor.
Pela fé, ganhamos força e coragem
Para enfrentar este tempo
De descrença
E indiferença.
Pela fé, vamos a Jesus e ao Pai
Conduzidos pelo Espírito renovador.
Impele-nos, Senhor, à prática da caridade
A ver no outro um irmão
Companheiro de estrada
Em busca da Salvação.
Á luz da Fé,
Faz-nos sentir certeza e segurança
Na travessia do mar encapelado
Em que navegamos.
E na hora da transição

Em que a “fé dá lugar à visão
Esperamos confiantes
Morar junto de Vós Senhor” (2 Cor 5,8).

 

publicado por aosabordapena às 18:29

07
Out 12

 

 (Foto Net)

 

A religião que, neste tempo, fechar os olhos, os ouvidos e a boca

 

diante da negação do futuro a gerações inteiras, só merece ser esquecida.

 

 

( Frei Bento Domingues, OP - Jornal Público de 7/10/212)

publicado por aosabordapena às 16:21

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
as minhas fotos
As minhas visitas
counter customizable Exibir My Stats
mais sobre mim
pesquisar