Um singelo espaço de reflexão pessoal. Lugar de afectos, espiritualidade e outras coisas da vida.

07
Jan 01

 

Neste início de ano, século e milénio, a esperança num mundo mais justo e mais humano, renasce no coração do homem.

A humanidade tem vivido momentos dramáticos.

As doenças incuráveis, a droga, a fome, as guerras, a violência gratuita, o ressurgimento de sentimentos racistas e xenófobos são, entre outros, espinhos cravados nas aspirações dos homens que anseiam por um mundo de paz, harmonia e felicidade para todos.

A natureza, revoltada pelos crimes com que diariamente é agredida, reage com violência. Os cataclismos, as epidemias, os terramotos, as inundações, são sinais visíveis e aterradores dessa revolta.

Contudo, a par destes acontecimentos e situações críticas, há também sinais de esperança.

A vitalidade dos movimentos apostólicos, o empenhamento pessoal de tantos cristãos na construção de um mundo melhor, a repercussão mundial das palavras e gestos do Santo Padre, apelando à defesa dos valores da vida e da família, da justiça, do amor e da paz, são alavancas impulsionadoras no sentido, não só da renovação e fortalecimento da Igreja, como também, da transformação da sociedade.

Nesta voragem materialista que nos envolve, não podemos esquecer a generosidade da Igreja Missionária que, com o suor do rosto e o sangue dos seus mártires, provoca ondas de fraternidade solidária junto dos mais pobres, lutando a seu lado, por melhores condições de vida de dignidade, progresso e liberdade.

A par destes contributos, não podemos esquecer, neste mês em que a unidade cristã é motivo de prece ao Senhor, a contribuição efectiva dos membros de todas as outras religiões, preocupadas com a promoção da paz e do diálogo ecuménico.

Por isso, apesar das nuvens que possam ensombrar os nossos horizontes, é proibido aos cristãos ter medo. Aos nossos ouvidos ecoam as palavras de Jesus: «Porque estais com medo, homens de pouca fé?».

Esta interpelação é, não tanto, uma suave censura, mas sobretudo um apelo ao incremento de fé e de confiança na sua mensagem salvadora.

Ao iniciar este 3.º milénio, somos, pois, convidados a assumir o permanente desafio de confiar totalmente em Cristo, de assumir o seu projecto e de ousar pô-lo em prática nos nossos corações e na sociedade, já que Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida.

Respondamos afirmativamente. Jesus nos recompensará.

 

publicado por aosabordapena às 14:06

Janeiro 2001
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar