Um singelo espaço de reflexão pessoal. Lugar de afectos, espiritualidade e outras coisas da vida.

07
Abr 00

 

Desde que a humanidade existe, o homem, como ser livre, tem a seus pés, dois caminhos diferentes, pelos quais pode enveredar.

Estes dois caminhos paralelos foram, conforme narra a Sagrada Escritura do Antigo Testamento, percorridos por Caim e Abel.

Caim personifica a fraqueza humana, propensa ao pecado e incapaz de se dominar. Deixando-se imbuir pelo ressentimento, pela cólera e pela inveja, torna-se o primeiro assassino da história, ao matar o seu irmão mais novo, Abel, homem piedoso e temente a Deus.

Do relato bíblico ressalta a recomendação antecipada que o Senhor lhe faz, no sentido da prática do bem.

Apesar disso, Caim, enredado nas suas contradições, segue o caminho do mal.

Ontem, como hoje, a figura sinistra de Caim, paira tenebrosamente sobre a humanidade, pois os homens continuam a matar-se uns aos outros, e mostram-se impotentes para acabar com as guerras.

A insolência e a mentira continuam a pautar o comportamento humano. A ausência de diálogo com Deus dificulta as relações entre os homens.

Este Ano Jubilar é o tempo propício que Deus põe à nossa disposição, para reflectir, corrigir e arrepiar caminho.

Deus, ao não permitir que a “lei da vingança” fosse aplicada a Caim, mostra-nos, na sua infinita misericórdia, a face de um Pai clemente e compassivo, diante dos nossos pecados.

Não percamos tal oportunidade. O nosso contributo, no campo do amor e do perdão, por mais modesto que seja, é decisivo para que a humanidade trilhe caminhos de bem e de felicidade.

 

 

publicado por aosabordapena às 14:26

Abril 2000
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar