Um singelo espaço de reflexão pessoal. Lugar de afectos, espiritualidade e outras coisas da vida.

02
Nov 10

 

 

Dia de romagem aos cemitérios. Dia de saudade e de oração por todos aqueles que, em purificação, se encontram a aguardar a entrada definitiva na Casa do Pai.

A Comemoração dos Fiéis Defuntos não é uma celebração da morte, nem uma mórbida recordação dos nossos entes queridos. É sobretudo a celebração da vida para além da morte na qual acreditamos. A celebração da esperança de que um dia, “nos últimos tempos”, todos nós, havemos de ressuscitar. É uma profissão de Fé em Cristo Vivo e Ressuscitado.

Foi o Abade de Cluny, S. Odilão, quem, no ano 998, determinou que em todos os mosteiros da sua Ordem se fizesse a comemoração de todos os defuntos «desde o princípio até ao fim do mundo», no dia a seguir ao da Solenidade de Todos os Santos.

Em 1915, em plena guerra mundial, o Papa Bento XV estendeu, a toda a Igreja, esta prática que já havia sido oficializada, por Roma, no século XIV.

Como é usual, a celebração dos Fiéis Defuntos que teve lugar no Cemitério Velho da cidade de Bragança, pelas 15 horas e 30, foi presidida pelo nosso Pároco, tendo-se registado a presença de um elevado número de fiéis, que, em comunidade, quiseram, sentidamente, pedir ao “Senhor da vida e da morte” que apresse a entrada, no Seu reino de Bem-aventurança, de todos aqueles que, marcados pelo Baptismo, sempre acreditaram na vida eterna.

Lembremo-nos, pois, dos nossos familiares que já partiram, não como mortos, mas sim como santos e vivos em Cristo.

publicado por aosabordapena às 18:58

Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

as minhas fotos
mais sobre mim
pesquisar