Um singelo espaço de reflexão pessoal. Lugar de afectos, espiritualidade e outras coisas da vida.

29
Jun 09

 

 

 
 
Ser catequista é uma resposta ao chamamento do Senhor que solicita o nosso empenho e disponibilidade no sentido de prestar à comunidade um serviço tão importante como é o da Catequese.
Com efeito, é extremamente enriquecedor e gratificante falar de Jesus às crianças, ávidas de aprender e despertar-lhes a curiosidade para conhecer esse Amigo que nunca falha.
De igual forma, como é marcante o primeiro anúncio da Boa Nova de Jesus aos jovens. Quem não se recorda do seu ou sua catequista e do modo como por eles foi marcado, nessa idade (já longínqua) das interrogações, das dúvidas, dos sonhos?
Ser catequista é, pois, evangelizar, obrigação de todo o cristão; é propor uma forma de ser e de estar na vida, à luz dos ensinamentos de Jesus.
No dia 4 de Setembro, pelas 16 horas, no Cartório Paroquial da Sé, vai haver uma reunião de catequistas para preparar o novo ano catequético.
Aqui fica o convite: das catequistas, leigas e religiosas, que no ano transacto, prestaram esse serviço com tanta dedicação e entusiasmo, esperamos, mais uma vez, a sua preciosa colaboração; a todos aqueles e aquelas, leigos, leigas ou religiosas, que se sentirem disponíveis e motivados para ser catequistas, mesmo que nunca o tenham sido, desde já agradecemos a sua presença e o seu valioso contributo, para, todos em conjunto, levarmos a bom termo tão nobre tarefa.
Comparece. O Senhor retribuirá.
 
publicado por aosabordapena às 20:12

08
Jun 04

 

 

O Santuário do Menino Jesus de Praga, em Avessadas, Marco de Canaveses, foi, este ano, o destino da peregrinação anual da Catequese e teve lugar no dia 8 de Maio de 2004.

Desde bem cedo, os 41 participantes afluíram ao largo em frente da nossa Igreja Matriz, onde nos aguardava o autocarro da Câmara Municipal de Bragança, cuja cedência muito agradecemos.

Mochilas às costas, rostos bem dispostos pois o dia, contrariando os seus antecessores, mostrava-se limpo, prenunciando um magnífico dia de sol, o que na verdade, veio a acontecer.

Feita a oração da manhã na qual se incluiu a oração de bênção que é uso fazer-se no início duma peregrinação, lá fomos devorando quilómetros do IP 4, bordejado por uma magnífica paisagem, onde pontificavam os verdes salpicados por inúmeros matizes, dentre os quais sobressaíam os amarelos

das giestas floridas.

Bem lá no coração do Marão a primeira paragem para “matar o bicho” e tomar o café da manhã.

Reiniciado o trajecto, e como não podia deixar de ser no mês dedicado a Nossa Senhora, foi rezado o terço.

Cerca das 11 horas, chegámos à cidade de Marco de Canaveses, localizada num dos locais mais férteis do Douro, terra de lendas, de numerosas mamoas, de casas solarengas, cujos fundamentos históricos mergulham num passado milenar, cuja história se encontra marcada nas enormes rochas que embelezam a natureza, dando-lhe um toque de grandiosidade e magnificência.

À nossa espera, o Sr. Padre Agostinho dos Reis Leal, reitor do Santuário e membro da comunidade dos Padres Carmelitas Descalços aí também residente, o qual, durante a Eucaristia a que presidiu, nos falou da Mensagem do Senhor que Paulo e Barnabé, apesar dos insultos não deixaram de anunciar, referindo que “nos dias de hoje, também não é fácil ser cristão”.

O porquê do Santuário do Menino Jesus de Praga, em Avessadas e a importância da invocação de Jesus na humanidade da Sua Santa infância, o valor e significado do Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, foram também temas que sugestivamente nos expôs.

De referir ainda que no momento de Acção de Graças, foi feita a consagração ao Menino Jesus que é usual fazer nas peregrinações.

Após a Eucaristia, seguiu-se a hora da fotografia da praxe, da aquisição de recordações e do já “desejado” almoço no parque de merendas que o Sr. Padre Agostinho simpaticamente nos disponibilizou.

Pela sua generosidade, e pela maneira amiga e hospitaleira como nos recebeu e acompanhou, o nosso muito obrigado.

Reconfortado o corpo, seguiu-se uma breve visita ao Santuário de Nossa Senhora do Castelinho donde se desfruta uma magnífica paisagem e uma visita à Igreja de Santa Maria, obra da autoria do Arq. Siza Vieira, onde o Sr. Dr. António da Rocha Marques nos explicou com pormenor, os diversos elementos que compõem aquela magnífica e desconcertante “Casa do Senhor”, a quem agradecemos pela sua disponibilidade.

A porta de entrada, o baptistério, a janela oblonga lateral, a parede oval, o altar-mor, o Sacrário, o ambão, a Cruz, a cadeira do presidente da celebração, a localização da imagem de Nossa Senhora, a claridade e a luz que invadem o templo, a configuração das cadeiras, foram objecto de esclarecimento e explicitada a sua ligação simbólica com o culto e com o ambiente de calma e tranquilidade que se deseja, propício à oração e ao encontro íntimo com Deus.

Cerca das 17 horas, rumámos em direcção à Régua.

Um panorama deslumbrante de montanhas e vales profundos, os solares e as casas grandes integradas nos terrenos de socalcos, onde o “vinho fino” amadurece nas vides, os verdes e os amarelos da paisagem, foram alguns dos tópicos que nos fizeram esquecer a estrada estreita e sinuosa que nos levou até ao rio Douro, mais concretamente, ao Peso da Régua, centro de comunicações ferroviárias, local onde antigamente atracavam os rabelos do Douro, hoje, substituídos por luxuosos barcos turísticos.

Após o lanche, o regresso. A boa disposição continuava a reinar.

Antes de chegar à nossa cidade, o que aconteceu por volta das 21 horas, agradecemos a Deus, por intermédio do Menino Jesus e de Nossa Senhora do Carmo, este magnífico dia de alegria, convívio, oração, cultura e enriquecimento pessoal.

publicado por aosabordapena às 19:05

16
Set 02

 

 
É Setembro. As férias já lá vão, e um novo ano de actividade começa, alterando o calendário tradicional da passagem e início de ano, ocasião mais propícia a comemorações do que ao reinício da labuta diária.
Corpos revigorados, ânimo e esperança redobrados, facilitam esta reentrada efectiva, quando esgotada a ruptura que as férias traduzem, tudo recomeça: retorno às aulas, retoma do emprego, sonhos renovados, projectos de mudança, uma nova forma de encarar a vida.
É neste ambiente que a Catequese, a escola da Fé da nossa Paróquia, se prepara para acolher as crianças e os jovens que iniciam, ou desejam continuar a descoberta do mistério do amor de Deus pelo mundo e aprender que, “estar com Jesus” ou “permanecer n`Ele”, é a grande fonte de alegria e felicidade do ser humano.
Para levar a cabo esta nobre tarefa, são precisas pessoas de boa vontade, não importa o sexo e a idade, que se disponibilizem para os ensinar a amar aquilo e aqueles que Jesus ama.
Ser catequista é deixar o barco na praia e seguir Jesus que promete uma pesca melhor. É, mais pelo exemplo ou testemunho pessoal do que pelas palavras, contribuir para que as crianças e os jovens sintam vontade de entrar em comunhão e na intimidade com Jesus, o Amigo que nunca desilude.
Assim, este apelo é para ti, que, de ano para ano, vais adiando a concretização do desejo de te tornares catequista, “de anunciar Jesus de Nazaré, de “evangelizar” e levar os outros ao “sim” da fé em Jesus Cristo”.
Vem, junta-te a nós. A Paróquia conta contigo. Jesus chama-te. Ele te recompensará.
publicado por aosabordapena às 14:09

08
Jun 02

 

 

Efectuou-se no dia 4 de Maio de 2002, o passeio que, anualmente, se realiza, com a prestimosa colaboração da Junta de Freguesia da Sé, que generosamente, nos disponibilizou meio de transporte, e a quem, publicamente agradecemos.

Este ano, e no mês dedicado à Mãe de Jesus e nossa Mãe, o passeio foi ao Santuário de Nossa Senhora da Assunção, em Vilas Boas, concelho de Vila Flor, com paragem em Mirandela, Vila Flor, e uma breve visita ao Santuário Mariano dos Cerejais, no concelho de Alfândega da Fé.

Alegria e boa disposição animaram os 34 participantes que assim puderam passar um excelente dia de sol, em animado convívio, aprendendo coisas novas, rezando e cantando.

Do Santuário, construção granítica e construído no local em que existiu outrora um castro e que terá sido um óptimo ponto de defesa, pudemos avistar as outras seis Senhoras, bem a espanhola Sanábria, o Marão, Bornes, Montesinho, Faro ou Reboredo e, na planura, o complexo agro-pecuário do Cachão.

A paisagem, pela sua singeleza, encanto e extraordinária dimensão, a todos deslumbrou.

Em Vila Flor, tivemos a oportunidade de visitar a magnífica biblioteca-museu, instalada num edifício do Século XIII.

Na biblioteca, com cerca de 20.000 volumes, são de salientar o foral de 1512, com catorze folhas ricamente iluminadas, o tombo dos bens dos condes de Sampaio, manuscrito e encadernado e com cerca de 20 kg de peso, o tombo da Vila e vária bibliografia do século XVII.

Apraz referir ainda a existência de obras de grande valor pictórico, de imagens e objectos sagrados, numismática e diversos utensílios antigos, cujo interesse e história são relevantes para o conhecimento e conservação da nossa história e cultura.

Foi um dia bem passado em que o ar puro a todos abriu o apetite e o sol ameno, convidou ao gostoso gelado.

Catequistas e jovens da nossa catequese, estão de parabéns, pela participação e forma como decorreu o passeio.

 

publicado por aosabordapena às 18:47

Março 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

as minhas fotos
As minhas visitas
counter customizable Exibir My Stats
mais sobre mim
pesquisar